[sobreventos]

O vento se dispersa pela sua rapidez ou é apenas uma característica?

Archive for the ‘[frases]’ Category

[citação: o caçador de pipas]

leave a comment »

“Como eupodia ser assim tão transparente para ele quando, pelo menos em cinqüenta por cento das vezes, não fazia a menor ideia do que estaria passando pela sua cabeça? E era eu que ia ao colégio. Era euque sabia ler e escrever. Era eu o inteligente. Hassan não era capaz de ler nem um livro de primeira série, mas podia me ler com a maior facilidade. Era um tanto perturbador, mas também um pouco reconfortante ter alguém que sempre sabia do que você estava precisando” (O caçador de Pipas, pág. 90)

Written by Marcos Corrêa [Kiambu]

[26, novembro | 2013] at [1:15 am]

Publicado em [brisas leves], [frases]

[na porta do metrô]

leave a comment »

Na calçada, em frente a saída da estação Liberdade, três pessoas aguardam por aquilo que os fizeram parar ali. Dois deles estão próximos à guia e uma terceira mulher encostada na parede fala ao telefone:

– Onde você está me vendo?… É. Eu já estou aqui… Como assim? Onde você está?… Como você está me vendo?… Onde?… Mas como você está me vendo?…

Irritado com a conversa que já deveria estar ouvindo bem antes de mim, e exatamente no momento em que eu passava pela cena, um dos ‘personagens’ próximos à guia responde:

– Na Globo!

Acho que nem o Galvão esperava por essa.

Filma eu Galvão!

Written by Marcos Corrêa [Kiambu]

[27, junho | 2010] at [3:19 pm]

Publicado em [frases], [futilidades]

Tagged with , ,

[direto do baú]

with one comment

Roubado de um motociclista que transitada displicentemente pela cidade com sua moto baú. Mais direto impossível!

Filho de rico com moto é BOY.
Filho de pobre é MOTOBOY

 

Written by Marcos Corrêa [Kiambu]

[30, agosto | 2008] at [2:03 am]

Publicado em [frases], [observações]

[miss Uruçuca]

with 2 comments

Numa festa-brejo, ouvi de Adriana, uma ex-moradora do interior baiano, o relato da premiação de um evento muito importante.

Ao fim do concurso que elegeria a Miss Uruçuca, a vencedora, questionada sobre qual seu prato predileto, solta a seguinte frase:

“Sobri-cu e pecoço”

Não quero nem saber qual o livro que ela mais gostou de ler; se é que ela sabe ler! Mas confesso que adorei a sinceridade. Salve a Miss Uruçuca!!!

Written by Marcos Corrêa [Kiambu]

[24, junho | 2008] at [3:55 pm]

Publicado em [encontros], [frases]

[a transparência é sempre perturbadora]

leave a comment »

Como eu podia ser assim tão transparente para ele quando, pelo menos em cinqüenta por cento das vezes, não fazia a menor idéia do que estaria passando pela sua cabeça? E era eu que ia ao colégio. Era eu que sabia ler e escrever. Era eu o inteligente. Hassan não era capaz de ler nem um livro de primeira série, mas podia me ler com a maior facilidade. Era um tanto perturbador, mas também um pouco reconfortante ter alguém que sempre sabia do que você estava precisando. (O caçador de Pipas, pág. 90)

Written by Marcos Corrêa [Kiambu]

[27, maio | 2008] at [8:43 am]

Publicado em [frases], [livros]

[coisas de Laurinha]

with one comment

Ao telefone, Laurinha, zangada com amigos cuiabanos atormentados com sua solteirice convicta, solta a frase que roubei para o blog.

Se não for quem eu quero, não será quem me quer.

Perfeição, acima de tudo.

Written by Marcos Corrêa [Kiambu]

[17, março | 2008] at [9:01 am]

Publicado em [frases]

[o caçador de pipas]

leave a comment »

Enquanto Khaled Hosseini faz com que Amir e Hassan caçem pipas, eu me delicio suas frases:

“Ishallah – repeti eu, embora a idéia de ‘vontade de Deus’ não soasse muito sincera em minha boca. Isso era um dos problemas com Hassan. O desgraçado do garoto era tão puro que a gente sempre parecia hipócrita perto dele.”

Written by Marcos Corrêa [Kiambu]

[5, março | 2008] at [10:49 am]

Publicado em [frases]