[sobreventos]

O vento se dispersa pela sua rapidez ou é apenas uma característica?

[Bubble, a ‘bolha’ que explode]

with one comment

Bubble de Eytan Fox 

Bubble (título original: Há-Buah), dirigido pelo israelense Eytan Fox de Delicada Relação (título original: Yossi & Jagger, 2002), antes de ser um filme destinado ao público gay, é um filme que trata de política e humanidade. A paixão entre um israelense e um palestino é o ponto de partida de filme que segue para longe dos clichês gays habituais e faz uma leitura bastante realista das intolerâncias, amores e esperanças humanas.

Assim como em Delicada Relação, as referências de Bubble partem de universo micro e se ampliam para realidades mais abrangentes. A base militar na fronteira entre Líbano e Israel onde Yossi e Jagger se apaixonaram é substituída pela ‘bolha’, refúgio dos descolados de Tel Aviv onde os homossexuais Noam (Ohad Knoller), Yali (Alon Friedman), e a hétero Lulu (Daniela Virtzer) vivem. É a partir desse reduto, espécie de universo paralelo em meio aos conflitos da região, que Eytan Fox vai desenvolver seu olhar sobre os conflitos que envolvem palestinos e judeus.

Bubble de Eytan Fox

A história se desenvolve quando Noam, após um período má sucedido no exército israelense de fronteira, se envolve com o palestino Ashraf (Yousef Sweid). Ilegal em Israel, Ashraf vai trabalhar na cafeteria gerenciada por Yali, ganha um nome falso e é ajudado pelos amigos de Noam que participam de um grupo que prega a paz entre judeus e palestinos.

Enquanto permaneceu na ‘bolha’ a realidade de suas histórias e identidades estava aparentemente protegida. No entanto Ashraf é descoberto e retorna para a Palestina. E este é o ponto mais significativo da história desenvolvida pelo diretor Eytan Fox pois quando Noam e Lulu, espécie de cabeça pensante do grupo, entram no território palestino atrás de Ashraf suas diferenças e proximidades se evidenciam.

Bubble de Eytan Fox

Ao retonar para Israel, Ashraf e Noam vão lembrar de suas histórias de infância (ambos moravam em bairros próximos e freqüentavam a mesma praça para brincar) e de como a intolerância hoje reinante entre palestinos e judeus foi uma história construída e talvez o aspecto mais repulsivo da região.

Contada sob a ótica de um casal hétero, essa seria uma história comum e relevante. O impacto do filme talvez esteja no fato de ser um casal de homens em meio a um conflito que consegue sublimar suas identidades sexuais. Não é a intolerância sobre suas sexualidades que os separam, nem seus medos sobre elas, mas uma realidade muito maior. Por sorte, não se trata de um filme “esperançoso”. E é aqui que reside sua maior força.

Written by Marcos Corrêa [Kiambu]

[25, agosto | 2007] às [4:23 pm]

Publicado em [cinema], [jornalismo]

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. qual o nome que digito no baixador de video para ter esse filme?autor,anos?pq qdo digito a palavra bubble sai outros filmes so que como foto de bonecos,obrigado

    paulo

    [27, abril | 2008] at [1:35 pm]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: