[sobreventos]

O vento se dispersa pela sua rapidez ou é apenas uma característica?

[o primeiro post]

with one comment

Tudo começou aqui. Num dia de vendaval, vindo da Unicamp, precisava escrever uma experiência pessoal sobre o amor para um vídeo (Espelho). Assim, relatei como nasceu o amor pra mim. Dolorido, mas sincero e cru.

Foi deste post que nasceu Sobreventos, cujas correntes são a mistura dos meus trinta anos e todas as suas experiências boas e ruins.

Este Blog não é um diário. Ele é um relato poético-pessoal dos meus encontros, percursos e caminhadas presentes, passadas e futuras, editado pelas minhas vergonhas, orgulhos, dores e alegrias. Em muitos desses caminhos, esbarro em pessoas, lugares e ações especiais que poderão ser aqui encontradas. Feliz de mim.

————————————————————————————–

[revendo fantasmas]
Setembro, 15th, 2006

Nunca soube explicar ao certo o que sentia quando o via, Estar perto dele era como sentir medo, mas também prazer, Sua presença fascinava os meus olhos de criança pela forma como conseguia dissimular meu incômodo com sua presença e o amor que sentia por ele, Eu conseguia sentir sua presença abrindo a grande do portão e se aproximando com sua respiração pesada, restos de comida na barba, roupas sujas e sempre apertadas, Ainda consigo me lembrar do cheiro que exalava do seu corpo, uma mistura de sexo, tinta e suor que aprendi a buscar também em outros corpos menos deformados que o seu, Mesmo repleto de meus afazeres de criança não conseguia dizer não aos seus convites para acompanhá-lo aos locais onde as tintas, comidas e o sexo exalavam do ambiente, Essa vai doer um pouco, molha mais ele, dizia, sempre confiante de meu silêncio e do seu poder de homem que tudo pode, que tudo estraga, que tudo quer…

Written by Marcos Corrêa [Kiambu]

[17, março | 2007] às [8:19 pm]

Publicado em [brisas leves]

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. eu ainda acho “sempre confiante de meu silêncio e do seu poder de homem que tudo pode, que tudo estraga, que tudo quer” uma das frases mais poéticas e poderosas que já li!

    santiago.jr

    [21, março | 2007] at [1:13 am]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: