[sobreventos]

O vento se dispersa pela sua rapidez ou é apenas uma característica?

Apagando…

with one comment

Há meses ensaio um texto que, sei, não sairá dos papéis que correm em minha mente. Ora escrevo em Vermelho. Ora em Azul. Ensaio processá-lo, redigir suas palavras-verbos em tamanhos gritante-garrafais para ver se assim ele consiga sair por si próprio e me machucar menos. Mas o máximo que consigo é misturá-lo aos anteriores como faz o vento numa mesa de escritório. Quem sabe se eu conseguisse escrever em magenta. Mas já acho que se tentar essa mistura, conseguirei apenas cinza.

Written by Marcos Corrêa [Kiambu]

[9, janeiro | 2007] às [1:49 am]

Publicado em [tempestidades]

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. sério que descobri junto de teu blog o cd Mar de Sophia? Só que eu paro muitas faixas antes: fico nas águas, nhem-nhem-nhem, nhem-nhem oxô-rodô…

    agora descobri Pirata. meu divino são josé, dai-nos chuva e abundância….

    (não se pode criar nada esses dias, não consigo também. escrevo outros textos. meu texto em vermelho, azul e preto continua picotado, entrecortado de imagens sem função, que se observam, lêem o texto, mudas, afundam)

    joão

    [10, janeiro | 2007] at [4:46 am]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: